Eventos científicos nos Açores facilitam integração dos cientistas em redes internacionais, afirma Brito e Abreu

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou hoje, em Ponta Delgada, que os Açores “têm capacidade para acolher grandes eventos científicos”, frisando a importância destes encontros para os cientistas açorianos estarem inseridos nas redes internacionais.

Fausto Brito e Abreu assegurou, por isso, o empenhamento do Governo dos Açores para a realização no arquipélago de iniciativas como o 22.º Encontro Europeu de VLBI para Geodesia e Astrometria (EVGA 2015), que decorreu em Ponta Delgada, em maio do ano passado.

O Secretário Regional falava na cerimónia de entrega do livro de atas do EVGA 2015 aos patrocinadores do evento, a quem agradeceu por terem contribuído para “uma maior participação e, consequentemente, uma maior projeção do evento e da Região”.

Na sua intervenção, recordou ainda os apoios da Direção Regional da Ciência e Tecnologia, através de concursos, à organização de eventos científicos nos Açores, bem como à deslocação de cientistas açorianos a reuniões científicas no exterior, “permitindo criar redes internacionais e atraindo projetos para a Região”.

Brito e Abreu referiu que o livro de atas é o resultado de um encontro científico que reuniu mais de uma centena de participantes de 17 países e de entidades como a NASA, o MIT, o Instituto Aeroespacial Japonês, o Laboratório de Astrofísica e Dinâmica da China, entre outras.

Nesse sentido, considerou que pode ser “uma boa ferramenta de consulta sobre aspetos de VLBI (Very Long Baseline Interferometry) geodésico e astrométrico, incluindo ‘hardware’, correlação, análise e resultados, tanto do ponto de vista científico como tecnológico”.

O livro reúne as apresentações dos cientistas que participaram no EVGA 2015 e que trabalham no campo da interferometria de base muito longa, um dos métodos mais precisos para medir a Terra e a sua orientação no espaço.

Brito e Abreu reafirmou que um dos objetivos do Governo é “garantir que os Açores aproveitam a sua localização estratégica”, no meio do Atlântico, para desenvolver tecnologias espaciais, frisando “o investimento grande” na implantação de infraestruturas tecnológicas, nomeadamente em estações dedicadas ao espaço e à observação da Terra, à climatologia e à deteção de ensaios nucleares.

O Secretário Regional apontou, como exemplo a inauguração em Santa Maria, em 2015, no âmbito desta reunião anual do EVGA, de uma das quatro estações geodésicas fundamentais que integram a Rede Atlântica de Estações Geodinâmicas Espaciais (RAEGE), que se destinam à realização de estudos na área de astronomia, geodesia e geofísica, recordando que está prevista a instalação no próximo ano de mais uma estação geodésica desta rede, na ilha das Flores.
GaCS/GM

Ver também

Prece

Sentado num banco do Campo de São Francisco, o velho pescador, de pele enrugada pelos …