contador gratuito
Quarta-feira , 20 Junho 2018

Rancho de Romeiros do Bom Jesus dos Aflitos vai sair para a estrada sem autorização da Igreja

pedro-e-ricardo-costaUm grupo de católicos reuniu-se na localidade de Bom Jesus dos Aflitos, localidade da Freguesia dos Fenais da Luz, há mais de um ano e decidiram “levantar” um rancho de romeiros, à semelhança do que acontece com outras localidades da ilha, como Atalhada da Freguesia do Rosário, na Lagoa, e nos Remédios, Freguesia de Santa Cruz, também na Lagoa, ou como acontecia na localidade de Santa Clara que antes de ser Freguesia era pertença da Freguesia de São José, em Ponta Delgada, e/ou ainda como acontece na Lombinha da Maia, Concelho de Nordeste.
Este grupo, através do mestre romeiro Pedro Paulo [embora a função de Mestre não tenha sido reconhecida pelo pároco], que participou em todas as reuniões de pernoitas em várias freguesias com outros irmãos romeiros, diz não perceber da razão porque promoveram os encontros, discutiram os assuntos, ouviram as razões da possibilidade de criação de um novo rancho de romeiros e chegada quase à hora da partida o Grupo Coordenador diz que não, embora reconheça que já antes o padre da paróquia dos Fenais da Luz e Bom Jesus dos Aflitos também “tenha manifestado o seu desinteresse e dito não”. Contudo, Pedro Paulo assume que nunca baixaram os braços, que têm o apoio de alguns mestres de romeiros e que mesmo sem o aval da Igreja açoriana vão sair à rua. “Vamos sair da nossa localidade e vamos regressar à nossa localidade com a Igreja fechada. Sabemos que foi dada ordem aos Mestres de Romeiros da Ilha para que não nos fosse autorizada dormida”, lamenta Isso quer dizer que como estes romeiros não fazem parte do grupo de ranchos autorizados, os párocos das freguesias não anunciam a sua chegada à freguesia. “Isso pode acontecer e podemos dormir na rua mas não vamos desistir da nossa fé. Peço é que Deus nos dê força como nos tem dado até aqui”, remata Pedro Paulo, que diz ser romeiro há 27 anos e catequista na Ermida do Bom Jesus dos Aflitos.
Com excepção de sete crianças e jovens que deste grupo fazem parte, todos os romeiros têm experiência de participação em romarias, uns que tiveram funções de mestre e contra-mestre e outros lembradores das almas, que querem sair no rancho de Bom Jesus dos Aflitos mas os órgãos eclesiásticos não querem. Para Pedro Paulo, que foi durante alguns anos mestre de romeiros dos Fenais da Luz “isso é uma perseguição de católicos para com católicos. Não somos perseguidos por pessoas de outras religiões mas sim por pessoas que professam a mesma religião”.
Este romeiro entende que “os 33 irmãos, que pretendem sair em romaria, têm a sua fé e só querem a solidariedade dos outros irmãos romeiros. São muitos os que nos apoiam mas o Grupo Coordenador dos Romeiros não. Vamos pedir uma reunião para expor a nossa posição ao senhor Bispo Coadjutor. ”.
O Correio dos Açores ouviu o Presidente do Grupo Coordenador dos Romeiros de São Miguel que nos disse que levantar um novo rancho de romeiros num lugar que não tem paróquia não faz sentido,” opinando “não haver qualquer perseguição”, pois esta não foi uma decisão unilateral. “O Conselho Pastoral dos Fenais da Luz não aceita, o pároco Duarte e o Grupo Coordenador também não. E Porquê? Porque o Grupo Coordenador não aceita dividir a comunidade nem os restantes órgãos eclesiais o aceitam”. Mais, adiantou que este assunto foi debatido no encontro de romeiros que tiveram e todos “foram de opinião que um racho de romeiros no Bom Jesus dos Aflitos não faz sentido porque não há necessidade de dividir. Nós queremos congregar, eles querem dividir”.
João Leite diz ser muito difícil tratar da logística de 55 ranchos de romeiros e a ideia não é aumentar o número de ranchos mas sim unir, embora reconheça que há freguesias com paróquia que ainda não têm o seu rancho de romeiros mas que se organizarem podem vir a ter como é o caso, por exemplo, Lomba de S. Pedro, Achada, Achadinha ou Água Retorta. Sobre o facto de haver outras paróquias fora das freguesias que têm ranchos, João leite diz: “Isso foi um precedente e posso dizer que foi mesmo um erro, mas naquela altura a coordenação dos ranchos não estava organizada como hoje. É preciso ter em conta que é difícil fazer com que 55 ranchos de romeiros sejam recolhidos nas freguesias, imagine-se se se multiplica o número… É impensável… Não se pode multiplicar o número de romeiros, senão qualquer dia há ranchos por rua. Não podemos repetir os erros que aconteceram no passado, fruto de outras circunstâncias”.
Por seu turno, Ricardo Costa, um cidadão morador na localidade de Bom Jesus dos Aflitos, que acompanha os romeiros nas suas refeições e caminhadas, refere que a comunidade pretende que o seu “rancho de romeiros saia em peregrinação pelas estradas da ilha e que seja recebido para as suas pernoitas nas várias freguesias por onde passar”. Este grupo, que tudo prevê vai sair à revelia, já tem o seu mapa de pernoitas, a saber: Lombinha da Maia; Algarvia; Água Retorta; Furnas; Atalhada; Saúde; e Sete Cidades.

Fonte: Correio dos Açores