José Manuel Bolieiro diz que história da baleação micaelense tem sido esquecida pelo Governo

José Manuel Bolieiro diz que história da baleação micaelense tem sido esquecida pelo Governo

17 de Julho, 2015 Não Por Azores Today

O Presidente da Câmara de Ponta Delgada defendeu, hoje, que a aposta que o Município faz, conjuntamente, com a Junta de Freguesia na 25ª edição da Festa do Baleeiro em São Vicente Ferreira “é o melhor alerta que queremos dar para que haja uma política integrada regional global, com o Município, com a Junta de Freguesia, com o Governo Regional para resgatarmos e recuperarmos toda a memória e o património baleeiro da ilha de São Miguel”.
José Manuel Bolieiro, que falava na conferência de Imprensa de apresentação do programa da Festa do Baleeiro de São Vicente Ferreira, disse mesmo que, ao longo dos anos, “temos assistido a um abandono. Há, e bem, um uma política de apoio ao resgate deste património regional dos Açores da baleação nas ilhas Pico, Faial e Terceira (aliás, ainda esta semana, houve apoios atribuídos pela região para a recuperação de botes baleeiros”.
“São Miguel tem este património. Ponta Delgada tem-no entre as freguesias de São Vicente Ferreira e Capelas. O nosso desafio, mas também o nosso compromisso, é de que podemos todos associados resgatar para o o futuro esta memória e este património que está abandonado e a degradar-se”- acentuou .
Segundo o Autarca, “estas festas não são apenas uma recriação musical. São uma manifestação de identidade e com o objetivo este ano, mais do que no passado até, de recuperar o estímulo, o incentivo e a agregação das instituições (freguesia, Município e Governo Regional) para resgatarmos esta memória e aproveitar, num bom mapeamento cultural de Ponta Delgada e da ilha de São Miguel, este património que temos. Desde logo com o porto, com a fábrica (a chaminé que subsiste)”.
José Manuel Bolieiro aproveitou a oportunidade para referir que, em reunião do Conselho de Ilha de São Miguel, “já manifestamos também uma posição na defesa da recuperação do bote baleeiro de São Miguel. Este foi o nosso primeiro alerta. A nossa aposta na Festa do Baleeiro é outro alerta. O arranque dos fundos comunitários para podermos apostar num investimento mais significativo é outro alerta, mapeamento cultural de núcleos museológicos. Estamos a dar este contributo depois de um pedido que a Junta de Freguesia nos fez”.
Reforçou, uma vez mais, a ideia de que “a costa norte do concelho de Ponta Delgada necessita de uma maior valorização. Aproveito para repetir que a cidade de Ponta Delgada é do concelho de Ponta Delgada e o concelho de Ponta Delgada não é apenas a sua cidade”.
O Presidente de Ponta Delgada disse mesmo que “temos muito património baleeiro nos Açores, mas São Miguel também faz parte deste património e reclamamos. Ponta Delgada tem estas duas freguesias (São Vicente e Capelas) que têm história, que têm património edificado, que têm referências e memórias que queremos que não se percam ao longo do futuro próximo”.
Defendeu, inclusivamente, que “o património baleeiro de Ponta Delgada recuperado pode servir de cartaz turístico. Em conjunto, devemos todos trabalhar para resgatar a memória da baleação no concelho de Ponta Delgada e até criar centro interpretativo ou núcleo museológico (…) e ter um bote baleeiro reconstruído e em exposição”.
“São Miguel, e em particular Ponta Delgada, têm património baleeiro abandonado e precisa que alguém olhe por ele, sendo a primeira responsabilidade deve ser da Região (política cultural e turística), mas sempre em coordenação com as Juntas de Freguesia e com os Municípios” – concluiu.
A Festa do Baleeiro decorre de 29 de julho a 4 de agosto e tem como cabeça de cartaz João Pedro Pais. O primeiro dia será dedicado a uma feira de gastronomia e artesanato e, durante os quatro dias da festa, o destaque vai para a atuação de vários artistas locais, mostra e venda de produtos locais e valorização da zona balnear, além da homenagem aos Baleeiros da Costa Norte, que contribuíram também para o enriquecimento cultural da freguesia e da divulgação da cultura, tradições, entre outros, nomeadamente através do programa da RTP-Açores “Atlântida”.

Fonte: Câmara Municipal de Ponta Delgada