O misterioso dinheiro da FLA

O misterioso dinheiro da FLA

20 Junho, 2015 Não Por Azores Today

Bandera_FLAÉ uma história que mais parecia um mito urbano, no entanto, as notas, que a FLA mandou imprimir, existem mesmo.

A história da FLA (Frente de Libertação dos Açores) confunde-se e, sempre se confundirá, com a Autonomia Açoriana. Os mais novos talvez ignorem um pouco desta parte da história açoriana, mas muitos dos mais velhos viveram, de forma directa ou indireta, alguns destes momentos mais marcantes da história dos Açores, nos anos 60, 70 e 80.

Atualmente, não se conhecem grandes atividades da FLA, salvo algumas esporádicas reuniões e tímidas manifestações, que não passam disto mesmo, ou até posso estar fortemente enganado, uma vez que a FLA sempre primou pelo secretismo.

JoseDeAlmeidaNo entanto, com o desaparecimento de José de Almeida, ficamos todos com a sensação de que era este o início do fim, há muito anunciado. Por outro lado, a presente situação da Base das Lajes, supostamente, uma das maiores fontes de receitas para uma sobrevivência dos Açores como nação, também deixam alguns destes ideais sem forma de subsistência política e, mais importante, financeira. Mas subsiste, no coração de muitos açorianos, especialmente os micaelenses e terceires, esta ideia romântica que nos faz escapar a algumas das frustrações politico-sociais dos últimos tempos por parte dos sistemas instituídos e enraizados.

phpThumbMas no meio de tantas histórias e mitos, próprios destas narrativas históricas, algumas serão certamente apenas lendas ou mitos que passaram de boca em boca, com ou sem, propósitos possíveis. No meio de muitos, o mito do dinheiro da FLA parecia não passar disto mesmo. Mas, eis que me chega às mãos uma das míticas e tão famigeradas notas.

A história deste dinheiro é confusa e incerta e cheia de fragmentos das memórias de alguns dos protagonistas da FLA ou deles são próximos.

O que consegui apurar, até ao momento, foi que foram impressas várias destas notas no Canadá, ou talvez Estados Unidos, isto nos anos 70. Tinham como finalidade o financiamento da própria FLA e, talvez, suponho eu, um possível passo em frente no sentido de uma moeda própria dos Açores, enquanto nação.

Segundo Carlos Melo Bento, e como havia referido, “estas notas foram feitas para angariar fundos para a FLA, iniciativa do saudoso advogado, Dr. Silva Fraga. O Dr. José de Almeida não gostou de ver a cara de Nemésio na nota, e boicotou passivamente a iniciativa, que, por isso também, teve pouco sucesso. Juntaram apenas escassos milhares de escudos que foram depositados numa conta do Banco Micaelense”.

1-Açor---frenteCom um valor de Um Açor, estas notas tinham, na altura, o valor real de 25 escudos, conforme se vê na imagem. No topo frontal aparece a frase “Frente Açoriana dos Direitos do Homem” uma clara chamada de atenção que a “libertação açoriana” era mais uma questão humanitária do que politica, ou ate mesmo militar. Mas, ao centro, e em bom destaque, vemos a sigla “FLA”, curiosamente, decorada pelas palavras “Antes morrer livres que em paz sujeitos”, a mesma frase que hoje encontramos no Brasão Autonómico.

1-Açor--versoNo verso, no topo da nota, temos a referência ao intuito claro de que seria um “Fundo para a libertação dos Açores” e uma alusão, certamente provocatória, à frase da constituição de 1976 que diz “Todos os povos têm direito à independência”. Lateralmente encontramos a imagem da justiça, que aos seus pés tem a frase em latim “Sapientia et Justitia” que traduzido quer dizer sabedoria e justiça. Estranhamento, digo eu, seria mais adequado, às circunstâncias da época  “Spientia et Libertas”, sabedoria e liberdade.

Estas são as escassas informações possíveis dar até ao momento, mas julgo que, apenas agora, iniciamos a narrativa desta nota de 1 Açor que muitas mais histórias poderá contar, de hoje em diante.

José Pacheco/ Azores Today

Algumas referencias sobre a FLA a consultar:

Movimento para a Autodeterminação do Povo Açoriano

Frente de Libertação dos Açores