A Associação Cultural Maré de Agosto e a sua história

A Associação Cultural Maré de Agosto e a sua história

19 de Maio, 2015 Não Por Azores Today

10848522_823816207660753_3289594064855480736_oA Associação Cultural Maré de Agosto constituiu-se formalmente em 1987 mas, resultou de uma “noite mágica” em 1984 que sem saberem seria a primeira de muitas marés.

Efectivamente, o festival teve a sua origem, quando um grupo de artistas marienses resolveu promover um encontro de músicos açorianos na ilha.

Daí até à concretização da ideia foi um passo, feitos os contactos, eis que se juntam alguns dos mais representativos músicos dos Açores na pequena ilha de Santa Maria. A iniciativa agradou de tal forma a todos, que a decisão de continuar com o evento foi natural merecendo desde logo o consenso de todos os intervenientes.

As primeiras edições realizaram-se em vários palcos espalhados pela ilha; na Praia Formosa, na então denominada “Pousada da Praia” (actual Paquete), Discoteca Chaminé, na Piscina do Aeroporto. Estes foram os palcos principais em 1984 e 1985. Posteriormente foi também utilizado o já demolido Ginásio do Aeroporto.

A ideia cresceu e a partir de 1986 estipulou-se um local definitivo onde se pudessem reunir outras condições para a realização da festa. O festival ficou assim sedeado na Baia da Praia Formosa a escassos 20 metros do mar, cenário considerado por muitos de “mágico”.

1836965_895863497122690_4462257721575391329_oNeste mesmo ano surgiu também outra inovação. A vontade de aprender, trocar experiências e conviver falava mais alto, e foi assim, que se começou a trazer a Santa Maria grupos oriundos de outras paragens. Continente Português, Estados Unidos, Africa, Brasil etc.

Com um crescimento tão rápido e com uma ambição enorme, havia que oficializar o evento. Surge assim, oficialmente em 1987, a A.C.M.A. – Associação Cultural Maré de Agosto.

É sua principal actividade a realização anual do Festival internacional de música Maré de Agosto. Contudo, a sua actividade não se resume à organização desse festival, realizando também, vários eventos em quase todas as áreas das Artes (workshops, teatro, artes plásticas, fotografia, etc).

A Associação assume-se como um dos mais importantes pólos dinamizadores da acção cultural e lúdica, numa pequena ilha de menos de 6000 habitantes, e como uma referência indesmentível no panorama cultural açoriano. Do mesmo modo, essa actividade tem constituído um enorme contributo para a dinamização económica da ilha de Santa Maria, nomeadamente no sector turístico.

25861_102532006455847_4363407_nÉ sem dúvida, pouco vulgar um Festival de Música conseguir esta longevidade de edições anuais ininterruptas. Esse facto toma-se ainda mais raro quando esse Festival se realiza numa pequena ilha no meio do Atlântico Norte e assume maior relevância pelo generalizado reconhecimento da sua qualidade.

Um acontecimento lúdico e cultural que já levou a Santa Maria mais de 200 espectáculos, proporcionados por mais de 150 grupos diferentes e cerca de 1000 músicos. Entre eles, nomes destacados do panorama musical, nacional e internacional, representativos das mais diversas correntes estéticas. Tânia Maria, Extreme, Rui Veloso, Madredeus, Trovante, Sérgio Godinho, Carlos do Carmo, Trevor Watts, José Mário Branco, Fausto, Carlos Paredes, GNR, Xutos & Pontapés, Resentidos, Ivan Lins, Rão Kyao, Júlio Pereira, Maria João, Mário Laginha, Martinho da Vila, Zizi Possi, Waldemar Bastos, Gabriel o Pensador, James Cotton, Omar Sosa, Dave Murray, Eric Sardinas, John Lee Hooker Jr., Celtas Cortos, Kíla, Anthony Gomes, Trio Mocotó, Skatalites, Angélique Kidjo, Fanfare Ciocarlia e Stanley Jordan são apenas alguns dos que figuram nessa “galeria de notáveis”.

25861_102532076455840_4676998_nMuitos outros, porventura menos divulgados, têm regularmente assumido o papel de agradáveis surpresas deste certame musical. É indesmentível que a todos eles se deve uma boa parte do sucesso da MARÉ DE AGOSTO.

Fonte: Associação Cultural Maré de Agosto