Editorial: O Primeiro Passo do Azores Today

Editorial: O Primeiro Passo do Azores Today

17 de Maio, 2015 Não Por Azores Today

O tempo de nascer

perfilHá sempre um dia para lançarmos a primeira pedra ou darmos o primeiro passo seja no que for. Este foi o dia escolhido para oficialmente darmos este pequeno passo. Duas circunstâncias o impuseram, de uma forma pessoal. Por um lado por comemoramos hoje o Dia Mundial das Comunicações Sociais, por outro, também se comemora o 49º Aniversário da Ribeira Chã enquanto freguesia, pequena localidade que irá acolher este jovem projecto neste espaço temporal inicial. Que seja também um exemplo de que pouco importa o tamanho da nossa geografia, mas sim o tamanho dos nossos sonhos.

Como em tudo na vida, nasce quando tem de nascer, sem pressas ou pressões. Isto porque já tem muitos anos este desejo de criar algo com estas características. Mas foi em 2012 que dei o primeiro passo neste sentido criando o nome e, sem qualquer ambição ou data estipulada, para fazer aparecer mais um canal de comunicação açoriano.

De certa forma é o juntar de várias paixões: a escrita, a fotografia, o jornalismo e todas as suas envolventes quer áudio, quer vídeo. Por outro lado, o percurso profissional, que sempre envolveu as novas tecnologias, de igual modo outra paixão, assim proporciona o conhecimento necessário à sua execução.

Tenho plena consciência que , tal como uma criança quando nasce, muitas serão as quedas mas maiores serão as alegrias.

Mas o que é o Azores Today | www.azorestoday.com ?

Logo Azores Today perfilNa verdade é e será aquilo que todos desejarem que seja. No entanto permitam, como mera sugestão, que este seja um projeto que agregue todos os Açorianos, aqui residentes, como aqueles que vivem mais distantes, daqui nativos, ou descendentes dos que partiram para outras paragens. De uma forma prática pretende-se dar importância ao que realmente é mais importante: a cultura e vivências do nosso povo, tanto ao nível dos grandes eventos, como dos pequenos acontecimentos, das diversas localidades, sendo este ultimo fator o que mais me move.

Certamente, seria humanamente impossível levar esta tarefa avante sozinho. Conto com a colaboração das instituições públicas, privadas, associativas e dos muitos amigos, que por aqui andam, com a mesma vontade de dar a conhecer o que muito se faz nestes Açores e, especialmente fora deles, nas nossas comunidades açorianas espalhadas pelo mundo.

Bem hajam e vamos a isso!

José Pacheco