Presidente da Câmara diz que celebração da identidade da vida de Ponta Delgada está associada às festas do Senhor Santo Cristo

O9064homenagem Presidente da Câmara Municipal, José Manuel Bolieiro, afirmou, esta quinta-feira, que “a celebração da identidade da vida citadina de Ponta Delgada está, sempre esteve, muito associada à realização das grandes festas em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres”.
José Manuel Bolieiro falava no final da cerimónia de encerramento do feriado municipal de Ponta Delgada, que homenageou, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, várias figuras que levaram o nome da cidade e do concelho mais longe e assinalou os 150 anos do Seminário Episcopal da Diocese de Angra.
Para o Presidente da Autarquia, a forte ligação com o Santo Cristo terá levado a que o Município entendesse calendarizar o seu feriado nestas festas.
Porém, adiantou, “a dimensão da fé e da devoção ao senhor Santo Cristo não tem fronteiras. Nem em Ponta Delgada, nem em S. Miguel, nem nos Açores. Com a nossa diáspora, a devoção e a fé no senhor Santo Cristo dos Milagres corre e está no mundo”.
“O próprio feriado municipal, enquanto disponibilidade laboral para a dedicação aos atos de fé, ultrapassou há muito tempo o Concelho e tem sido de ilha. A concentração em Ponta Delgada para as festas é verdadeiramente universal” – acentuou.
Segundo adiantou, “a municipalidade deu lugar à ilha de S. Miguel, que ocupou o feriado de segunda feira do Senhor Santo Cristo dos Milagres como sendo intermunicipal. É por isso que o Município de Ponta Delgada, embora assinalando o seu feriado, como habitualmente, nesse dia, não prescinde de valorizar a quinta feira do Senhor Santo Cristo dos Milagres, o dia de encerramento das festas, como um dia especial para Ponta Delgada”.
Sobre a cerimónia, disse ser “simbólica”, mas “profunda de significado, de reconhecimento e de louvor às personalidades e à instituição que deixaram inscritas, pela sua indelével marca individual e institucional, referências que nos identificam como um coletivo, com orgulho na sua história e nas suas gentes”.
José Manuel Bolieiro referiu que a Câmara fechou “com chave de ouro” as comemorações do Feriado Municipal e das grandes festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, uma vez que a entrega da Medalha de Mérito Municipal e da Medalha de Ouro do Município, “honra-nos muito, pois o prestígio de cada um dos homenageados inspira-nos para o futuro que temos pela frente. Hoje, Somos melhores do que seríamos sem eles ou do que éramos antes deles. E isso vale muito na dignificação coletiva do que somos enquanto Povo”.
A Câmara Municipal entregou, a título póstumo, a Medalha de Mérito Municipal a Anthímio de Azevedo, meteorologista e apresentador dos bole11118629_947277398668009_5510709798788042692_otins meteorológicos televisivos desde a década de 60, que, segundo o Presidente, “fez-se como alguém da nossa família”. Recebeu a distinção Maria Cristina Oliveira Rodrigues.
Também a título póstumo, a Câmara entregou a Medalha de Mérito Municipal a Manuel Medeiros Ferreira, que ficou celebrizado pela música “Ilhas de Bruma”, considerada um “hino não oficial” da Açorianidade, como disse José Manuel Bolieiro. A distinção foi entregue  a Rubens Pavão, Presidente da Comissão Municipal de Toponímia, em nome da família.
O Município distinguiu, ainda a título póstumo, com o título de Cidadão Honorário de Ponta Delgada, Francisco Carreiro da Costa, professor, intelectual e político, que se notabilizou pela sua obra etnográfica e como dirigente cultural. Francisco Carreiro da Costa inspirou-se em Ponta Delgada e  beneficiou a história coletiva do concelho. Recebeu a distinção a sobrinha, Luísa Costa Pereira.
Também a título póstumo, foi entregue a Medalha de Ouro do Município a Augusto Athayde, que alcançou no ensino do Direito e na investigação em História e na Literatura, as suas grandes paixões. Augusto Athayde contribuiu, com o seu património, para a divulgação e para o desenvolvimento de Ponta Delgada. Recebeu a Medalha o filho, Duarte de Athayde.
A Câmara Municipal de Ponta Delgada assinalou, por último, os 150 anos do Seminário Episcopal da Diocese de Angra, ao entregar ao Reitor, Helder Miranda Alexandre, a Medalha de Ouro do Município.
José Manuel Bolieiro sublinhou que “a história do Seminário Episcopal em Ponta Delgada distingue a própria história do Município. Uma história de distinção e formação de várias gerações. Todos e cada um deles souberam assumir posições de relevo e carácter na vida pessoal e coletiva da cidade e dos Açores. O Seminário Epsicopal deixou marca social e cultural em Ponta Delgada”.
No final da sua intervenção, José Manuel Bolieiro distinguiu a Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres por mais uma edição da centenária festa, “uma das mais expressivas manifestações nacionais da fé de um povo – a fé do nosso povo”.
“Os açorianos vivem com especial intensidade as suas tradições seculares, sempre com a esperança renovada de poderem caminhar em frente, acompanhados da sua fé” – disse
A cerimónia terminou com um momento musical único, nomeadamente com a interpretação de “Ilhas de Bruma” por Vânia Dilac e Bárbara Azevedo.

Fonte: Câmara Municipal de Ponta Delgada

Publicado por Câmara Municipal de Ponta Delgada em Sexta-feira, 15 de maio de 2015

Ver também

Eh pá!… Hoje precesei de ir ao Banco pra fazer lá um alavantamento….

Eh pá!… Hoje precesei de ir ao Banco pra fazer lá um alavantamento, fui com …