Os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Faial acusaram o governo de falta de vontade política para avançar com a ampliação da pista do aeroporto da Horta como confirmam, de resto, as declarações da secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha, na Comissão de Economia do parlamento açoriano.

Carlos Ferreira e Luís Garcia, que participavam na audição a Ana Cunha sobre a petição pública “A favor do aeroporto da Horta e de mais e melhores acessibilidades aéreas ao Faial”, subscrita por 2.529 cidadãos, insistiram na necessidade de o Governo regional “liderar politicamente” o processo de ampliação da pista do aeroporto, desafio esse que “não teve acolhimento por parte da secretária regional”.

“O que resulta claramente desta audição é a falta de vontade política do Governo regional para liderar o processo relativo à ampliação da pista do aeroporto da Horta”, afirmou Carlos Ferreira, depois de a governante admitir, com “respostas evasivas” e indicativas da “falta de iniciativa” do Governo, que o executivo açoriano nunca reuniu com a ANA para discutir a ampliação da pista do aeroporto da Horta.

“Quando é que o Governo sai do bloqueio em que se colocou relacionado com a privatização da ANA e dá passos concretos para se decidir que a ampliação é para fazer, avaliando o enquadramento do investimento, por exemplo, no âmbito do Plano Juncker?”, insistiu o deputado, levando a secretária regional a admitir “disponibilidade” do Governo para apoiar um eventual enquadramento do investimento na ampliação da pista no âmbito do Plano Juncker.

Segundo Luís Garcia, basta que “haja vontade política” para que se avance para uma obra reivindicada pela população e por vários setores da ilha, cuja execução, se vier a ser concretizada, terá implicações não só na mobilidade dos faialenses, mas também na economia, nomeadamente no turismo, já que uma pista de maior dimensão poderá receber outros tipos de aviões e servir outras rotas”.

O parlamentar social-democrata açoriano rejeita ainda “categoricamente” o argumento do Governo regional de que o Aeroporto da Horta é uma infraestrutura privada, salientando que o executivo açoriano “apoia diversos investimentos privados porque entende que têm interesse público.

“O governo considera ou não que este é um investimento estratégico para o Faial e para os Açores?”, questionou, para lamentar a “visão deturpada sobre o desenvolvimento dos Açores revelada pela secretária regional dos Transportes e Obras Públicas ao considerar que quem tem de definir se o investimento é ou não estratégico é a ANA/Vinci”.

Durante a audição, onde participou ainda o presidente do Conselho de Administração do Grupo SATA, Paulo Meneses, o deputado do PSD/Açores Luís Garcia reiterou que as ligações aéreas ao Faial são insuficientes, bem como a promoção, por parte da transportadora aérea regional, da rota Lisboa-Horta.

Luís Garcia apontou também a “falta de planeamento do Governo e da empresa” no que respeita, por exemplo, às aeronaves a utilizar nas futuras obrigações de serviço público, uma vez que a resposta a essa questão foi de que a situação só será avaliada quando terminar o contrato leasing das atuais aeronaves.

Fonte: PSD Açores

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here