Os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Pico acusam o Governo de confundir deliberadamente a obra na pista do aeroporto do Pico com vista a melhorar as condições de escoamento das águas superficiais (grooving), com a necessidade de se avançar para o alargamento da pista daquela infraestrutura aeroportuária.

Segundo Marco Costa, “os trabalhos de grooving são fundamentais, na medida em que deverão reduzir o número de voos cancelados por falta de condições na pista relacionadas com excesso de água, mas não são a resposta para a incapacidade do aeroporto para receber aeronaves de maiores dimensões”.

O social-democrata açoriano sublinhou que “o que temos assistido por parte do Governo, lamentavelmente, é à sobrevalorização dos trabalhos do grooving para subvalorizar a necessidade de se aumentar a pista do aeroporto do Pico, o único detido pelo Governo dos Açores com gateway para o exterior da Região”.

Já o deputado Jorge Jorge, que também participava na audição à secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, na Comissão de Economia, no âmbito da petição pública “Pelo aumento das condições de operacionalidade do aeroporto da ilha do Pico”, salientou que a iniciativa dos cidadãos em discussão “apela a que os órgãos de governo próprio planeiem o futuro”.

“Esta petição é pelo futuro do aeroporto do Pico e pelo futuro da ilha, pela capacidade de recebermos novas e maiores aeronaves, uma necessidade reconhecida, inclusive, pelo Presidente do Conselho de Administração da SATA, em linha com o que defendem vários setores da sociedade do Pico”, indicou.

“Está em condições de garantir que podemos perspetivar esta obra em outra Legislatura ou em outro Quadro Comunitário de Apoio”, insistiu Jorge Jorge, depois de Ana Cunha afastar a hipótese do aumento da pista do aeroporto.

“O Governo, ao não conseguir projetar um calendário para a execução desta obra, está a assumir uma absoluta falta de capacidade de planeamento”, acrescentou o parlamentar à margem dos trabalhos da Comissão de Economia.

O grupo parlamentar do PSD/Açores propôs, em sede de discussão do Plano Anual Regional para 2018, a introdução neste documento do Governo de uma verba de 150 mil euros para a elaboração do projeto de ampliação da pista do aeroporto do Pico, proposta essa chumbada pela bancada maioritária do PS que suporta o Governo regional.

Jorge Jorge questionou ainda a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas sobre os custos para a Região e para o Grupo SATA dos cancelamentos de voos no aeroporto do Pico, ficando sem resposta.

Luís Rendeiro, deputado do PSD/Açores, notou que “é recorrente a senhora secretária regional dos Transportes e Obras Públicas alegar que entrou em funções há apenas seis meses para justificar o facto de não dar respostas às questões dos deputados sobre matérias que são da sua tutela”.

“É dever do Governo prestar informação às Comissões e aos deputados e seria bom e adequado que isso começasse a acontecer nesta Comissão e nas audições à secretária regional dos Transportes e Obras Públicas sempre que for questionada sobre assuntos da sua tutela”, reforçou, frisando que o executivo não pode continuar a pôr em causa princípios como a da transparência.

“Quais é que são os custos médios anuais para a SATA e para a economia da Região dos sucessivos cancelamentos na ilha do Pico? Estes são dados que o Governo tem de conhecer até para sustentar a sua decisão, no caso, do não prolongamento da pista do aeroporto do Pico”, insistiu Luís Rendeiro, apelando a que esses dados sejam fornecidos ao parlamento açoriano.

Fonte: PSD Açores

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here